19 de dezembro de 2008

O Tempo

Poema já colocado neste blog em "Reflexões / poesias"
Agora relemos-o aqui em forma de post, pois Quintana sempre vale a pena.
tempo relogio
abração
dea e juba
 
"A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.

Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos!

Agora é tarde demais para ser reprovado.
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.

Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.
                                              
Desta forma, eu digo: não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo,
a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará mais."
(Mário Quintana)
 
 

2 .:

De e Lu disse...

Pertinente o poema para quem está na fila de espera... :)
abraços

Juba e Dea disse...

o que mais se aprende no processo é ser paciente, rsrsrsrs.
abçsss

Postar um comentário

                       
Obrigado por deixar o seu comentário!